O que fazemos

Atuamos pela vontade de promover bons encontros, ingredientes indispensáveis para a vida coletiva. Seja na vida, em geral, e, especificamente, em hospitais, escolas e outras organizações sociais, pelo voluntariado e pela arte, essencialmente.

Missão

Convidar, preparar e apoiar pessoas para atividades que melhorem a convivência, pela Arte, Educação, Comunicação e Voluntariado.

Visão

Pela inquietude, entusiasmo e compromisso com o bem fazer, ser inspiração na gestão de atividades sociais.

Valores

Transparência, Respeito incondicional, Entusiasmo, Inquietude, Cooperação, Protagonismo social, Capricho e Descontração.

Origem

O Canto Cidadão começou as suas atividades no segundo semestre de 2001, mas, tornou-se uma organização não-governamental sem fins lucrativos, oficialmente, em 19 de julho de 2002.

O início das atividades se deu com o encontro entre Felipe Mello e Roberto Ravagnani, por meio da realização de palestras sobre cidadania, produção/apresentação de programa de rádio e visitas de palhaços a hospitais públicos e filantrópicos.

Com a aproximação de mais pessoas interessadas, os programas socioculturais e socioeducativos foram se ampliando, chegando a mais organizações parceiras e seus públicos.

A organização social

O maior desejo é aprimorar as práticas de um voluntariado inspirado, organizado e competente.

Para isso, diversos ajustes vêm sendo realizados: novo processo de entrada de voluntários; preparação inicial e continuada revisada e ampliada; fortalecimento da gestão cotidiana dos grupos voluntários; geração de indicadores compartilhados com todos os públicos de interesse; mais comunicação interna/externa e criação de um programa de reconhecimento.

Quem somos

O atual mandato (vigente até 2020) tem como diretores* Felipe Mello e Ubiratan Mendonça Júnior.

Nos termos do Estatuto da organização, compete à Diretoria: elaborar e submeter à Assembleia Geral a proposta de programação anual da organização; executar a programação anual de atividades da organização; elaborar e apresentar à Assembleia Geral o relatório anual; reunir-se com instituições públicas e privadas para mútua colaboração em atividades de interesse comum; contratar e demitir funcionários; regulamentar as Ordens Normativas da Assembleia Geral e emitir Ordens Executivas para disciplinar o funcionamento interno da organização.

*No início de 2018, Roberto Ravagnani solicitou afastamento de suas funções na diretoria da organização.

O atual mandato (vigente até 2020) tem como conselheiros Carmen Morales Moquiuti, Célio Soledade Romano, Cícero Ricardo Gomes de Miranda, Gomér Gonzaga, Larissa Maçães Cordeiro, Raul Ranauro Javales Junior e Sérgio Vaisman.

Nos termos do Estatuto da organização, compete ao Conselho Fiscal: examinar os livros de escrituração da organização; opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da organização (Lei 9.790/99, inciso III do art. 4º); requisitar, a qualquer tempo, documentação comprobatória das operações econômico-financeiras realizadas pela organização; convocar extraordinariamente a Assembleia Geral;

O Conselho Fiscal se reunirá ordinariamente a cada seis (6) meses e, extraordinariamente, sempre que necessário.

Pessoas de diversas idades e perfis que vêm ao Canto Cidadão para, após a preparação inicial, realizar trabalho não-remunerado em hospitais, escolas e outros locais. 

Organizações que recebem, pontual ou regularmente, atividades socioculturais do Canto Cidadão. Destacamos os hospitais públicos e filantrópicos, que recebem as atividades de palhaçaria, teatro, música e ludicidade em brinquedotecas; assim como, escolas públicas e organizações sociais das quais vêm crianças para assistir teatro em nossa sede, assim como recebem os nossos espetáculos gratuitos itinerantes.